Seja bem-vindo ao site da Sicredi Serrana

Seja bem-vindo ao site da Sicredi Serrana

Copom eleva Taxa Selic para 3,5% ao ano

05 de Maio de 2021

Copom eleva Taxa Selic para 3,5% ao ano
min de leitura

O Banco Central do Brasil iniciou na última terça-feira (04), a reunião para definição da nova meta da Selic (confira aqui o que é a Selic) a taxa básica de juros que é a principal ferramenta do governo utilizada para execução da política monetária nacional.

Na data de hoje (05), o Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) divulgou um aumento de 0.75 pontos percentuais, aumentando a taxa de juros para 3,5% ao ano. O aumento divulgado vem de encontro com as projeções do mercado, sinalizadas também na última ata do COPOM. (Confira a ata aqui)

Já na última reunião realizada no mês de março de 2021, o comitê havia sinalizado um novo ciclo de aumentos, saindo da mínima histórica de 2% ao ano. para 2,75% ao ano.

O principal fator para tal alta é a preocupação do governo quanto a inflação de preços medida pelo índice de preços ao consumidor (IPCA), produzido e disponibilizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) no início de cada mês.

O IPCA tem expectativas (meta) de inflação para 2021, 2022 e 2023 em 5,01%, 3,6% e 3,25%, respectivamente. Nas últimas divulgações do IPCA, os valores encontram-se próximos ao limite superior do intervalo de tolerância da meta em 2021 e ao redor da meta em 2022. Para manter a expectativa de inflação dentro do intervalo projetado, o instrumento mais conhecido é o aumento ou a baixa da Taxa Selic Meta.

Em cenários de aumento de taxa de juros (Selic), a expectativa é retirar liquidez da economia (moeda em circulação) para controlar a inflação, visto que um dos fatores que mais provocam a inflação de preços é o excesso de moeda (dinheiro) em circulação na economia.

Para os investidores de renda fixa, os rendimentos de suas aplicações ficarão um pouco melhores já no próximo mês.

A tradicional poupança, que em suas aplicações à partir de maio/2012 rende 70% da Taxa Selic Meta, passarão a remunerar mensalmente o percentual de 0,20% a.m., uma leve alta frente aos 0,16% da antiga da taxa de juros.

Para Investidores que utilizam o indicador de renda fixa CDI (taxa de depósito interbancário), que sofre influência direta e segue a taxa Selic, também haverá um leve aumento no índice, podendo chegar a 0,28% nos meses seguintes.

É importante salientar que investimentos em poupança não possuem retenção de Imposto de Renda na fonte, ao contrário de aplicações conhecidas no mercado financeiro, como Depósitos a Prazo (CDB, RDC, Tesouro Direto, etc) e Fundos de Investimentos.

Vale destacar também que, as aplicações realizadas em poupança antes de maio de 2012, continuarão rendendo o equivalente a 0,5% a.m., conforme a lei 12.703 de 07/08/2012.

Com a expectativa do mercado apontando para taxa de juros no final do ano em 5,5 % a.a. divulgada pelo Bacen no Relatório Focus nessa semana, alinhada às incertezas econômicas frente ao avanço do Covid-19 e limitações da vacina, a renda fixa torna-se mais atrativa esse ano devido a sua segurança e liquidez.

Conte com nossas equipes para auxiliá-lo nas melhores decisões de acordo com o seu perfil e objetivos!

Texto: Régis Luis Kunzler- Assessor de Negócios da Sicredi Serrana